domingo, 24 de maio de 2009

Estou aqui, novamente, renascida das cinzas, ou quase isso, e o assunto é sempre o mesmo: eu, eu mesma. Mais uma vez com o coração partido.
Sempre fui um alguém que as pessoas chamariam de 'extrovertida', 'pensa o que fala e fala o que pensa', 'sem papas na língua'. Porém, a verdade é que (no maior estilo Sex and the city), quando o assunto é relacionamentos eu sou o completo oposto. M-O-R-R-O de medo de levar um fora, nunca, em hipótese alguma me arrisco. O cara nem sabe, mas já planejei casamento, filhos, casa e cachorro com ele. Fico me moendo por dentro.
Entretanto, para toda regra há uma exceção. Quando imagino que foi dado margem, sinto o solo mais firme, solto algo, uma nano-declaração de amor. E com a sorte que Deus me deu nesse setor da vida humana, quando me dou bem recebo um antártico silêncio. Ou, numa pior situação, recebo um "Júlia, olhe, veja bem...". Definitivamente, isso não me ajuda em nada. Me sinto cansada e amaldiçoada, escolho a dedo, como diria meu pai, "a máquina que dá mais bronca".
Acho que na vida existem dois grupos de pessoas: aqueles que se dão bem no amor e aqueles que se dão bem no trabalho. Espero que tenham espaço pra mim no segundo grupo.

Ok, acabei de escrever um texto bem medíocre.

5 comentários:

Fernanda F. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda F. disse...

a argentina vice, 13 letras

Gu. disse...

hum

Gu. disse...

menine, sim... o mundo se divide sim, mas não nestas categorias que você mencionou. se divide em 2 grupos: as pessoas que conseguem fácil; e as pessoas que precisam batalhar pra conseguir.

Laio disse...

Não achei tão medíocre não. xD